24 de agosto de 2014

Sobre a completude do ser









Jazz me preenche de uma forma doentia.
E eu adoro isso.




Um comentário: